Massacre of the Innocents (Strage degli innocenti). Pintura de Guido Reni

A Democracia Liberal atacou novamente, na América Latina! Desta vez, ainda quando nós, cristãos, celebramos a Oitava de Natal (o nascimento de Cristo) e um dia após ser comemorado, na liturgia da Igreja, o dia dos Santos Inocentes (que foram os bebês mortos com até dois anos de idade a mando de Herodes), recebemos a notícia de ter havido no Senado Argentino, uma votação sobre o aborto legalizado e, para a surpresa de ninguém, o mal venceu – como é de praxe nesse maldito sistema.

Vivemos na época em que a tudo querem pôr em votação. Não há limite para o que deva ser votado? Se podem votar até para que o assassinato de bebês inocentes ocorra, o que se escaparia de barreira moral que não pudesse ser votado?

Se agora podem votar para que crianças sejam mortas, enquanto já se discutem a mais absurda ainda ideia de aborto pós-parto (que é literalmente o assassínio de um recém nascido), o que impediria de que se fosse votado coisas como legalização de todas as drogas, aniquilação completa da instituição familiar, a permissão de relações incestuosas, ou de relações pedófilas, zoófilas, ou necrófilas, ou por qualquer bizarrice moral que seja possível de ser imaginada na cabeça desses doentes?

Esse sistema, que submete todos os valores importantíssimos para a manutenção social e para Salvação das almas ao voto de uns crápulas que foram eleitos por um sistema que pulveriza seus eleitores à maior insignificância de representatividade possível, deve ser aniquilado — o quanto antes!

Saiu um vídeo que mostra feministas argentinas na rua, nuas, comemorando o aborto legal. Sobre isso, quero citar um comentário meu feito numa situação idêntica, em que centenas de desalmados foram às ruas comemorar um aborto realizado aqui mesmo no Brasil:

“Era a verdadeira manada bestializada. Era a rememoração de Sodoma e Gomorra. Eram os demônios que, na posse daquelas almas, regurgitavam de alegria, na certeza de que mais um sacrifício fora feito em nome de Satanás. Era a massa de gente mais detestável, inundando as redes sociais e as ruas. Homicidas, sugando as esperanças de que uma nova vida se realizasse, alimentando-se da mais terrível desgraça. Conscientes de que seus trágicos desejos estavam feitos e eram irreversíveis. Era o caos profano dissolvido na manada mais odiosa.” [1]

Não são pessoas, ali; são demônios — e isto nota-se pelos seus jeitos e feições. São almas consumidas pelo maior ódio possível à humanidade – o ódio satânico.

E é justo esse tipo de lixo que vem nos falar de ter tolerância, mas, pergunto-lhe, e a tolerância para com as crianças inocentes nos ventres maternos?

O feminismo é uma praga! Uma praga que já deveria ter sido arrancada daqui e de todo lugar que tenha pessoas decentes! É uma praga que não só deveria ser atirada para bem longe, como também aniquilada. É por causa do feminismo e de todas as ideologias progressistas que infestam a mídia em todas as suas extensões, que nos encontramos nessa penúria.

Você, brasileiro, quer o aborto no Brasil? Se não quer, está na hora de agir, pois já acontece — e pode ser pior! Os inimigos de Deus, da Pátria e da Família não descansam! Eles estão tramando, com esforços físicos e sobrenaturais, o tempo inteiro, para destruir toda a Cristandade; destruir tudo que denote ordem e segurança!

Por que há quem não se indigna com isso? Qual o nível de frieza que alguém chegou para ser indiferente ao assassinato massivo de crianças?

A Democracia Liberal precisa ser extinta, antes que ela mesma nos extinga. Ela já faz esse trabalho, a começar pelas nossas crianças (pelo aborto), depois pelos nossos idosos (pela eutanásia), depois pela censura de tudo que se firmar como oposição a toda essa escatologia ideológica e, por fim, só restará uma anti-sociedade, formada por animais-humanos, com seus instintos incontroláveis; violentos, sexualizados, bárbaros!

Sua decisão, caro leitor, é se pagará para ver a última criança nesse país que não tenha sido abortada reduzida à condição de escrava sexual, ou se reconhecerá o chamado divino que lhe grita ao ouvido e virá lutar conosco pelo Brasil Integral e contra esse sistema falido e carcomido que os vermes hipócritas insistem em chamar de “democracia”.

***

Nota
[1] MESQUITA, Jonas de. O caso de aborto recente e a grande mídia. Nova Offensiva, ago. 2020. Disponível em: http://novaoffensiva.com.br/o-caso-de-aborto-recente-e-a-grande-midia/. Acesso em: 30 dez. 2020.

Deixe uma resposta